segunda-feira, 18 de agosto de 2008

quase...

Depois de quase ter embatido na palavra “acabou”, uma súbita leveza apoderou-se do meu corpo e finalmente percebi que sou muito mais do que aquilo que mereces.

Apenas tenho noticias tuas de tempo a tempo, como deves calcular para mim é difícil não pisar a linha entre ser sempre teu ou ser teu quando te apetece. Quanto menos me dás mais quero de ti, uma situação comum a todos os mortais.

Procura alguém que conheça o significado da palavra “especial” à tua maneira. Ser especial não é enviar uma sms por semana, ou dar uma queca por mês, ser especial é fazer sentir que a outra pessoa importa, que merece atenção, respeito, carinho, dedicação… Coisas que não sinto há muito tempo nem nunca senti contigo. Deixa de lado esse teu lado embriagado pelo medo de demonstrar afecto, saí do armário do teu quarto e corre em busca da felicidade.

Estes dias por terras Algarvias, quase que deram para perceber, não sei se era da moca ou não, que tudo é mais bonito de noite. As luzes, o luar, as pontas dos cigarros, os neons, a música, os olhares, os passos, o álcool, a paisagem, as vozes… Tudo tem outro encanto, estou a tornar-me num noctívago em busca da essência da palavra independência.

Quase que me sinto independente, de ti, de mim, deles, dos outros, dos amigos dos outros, das amigas dos outros, do mundo no geral. Começo a ter uma perspectiva de um mundo individualista onde mais vale ser um cabrão e dar uma por noite com quem me apetecer do que me entregar a alguém que por via da sua parvoíce vai estragar uma união baseada na ilusão e nos contos de fada. Tenho que ter uma postura mais fria, insensível, pensar primeiro no que sinto, no que pode acontecer e no tipo de pessoa com quem me estou a envolver.

Desta experiencia tenho uma conclusão a tirar, isto não vai voltar a acontecer.

Hoje e nos próximos dias não vou procurar o amor, vou procurar momentos.

Quase que não te sinto.

11 comentários:

white body disse...

foi quase... quase.

Pedro Bastos disse...

Procurar momentos é bastante mais facil do que procurar o amor. Mas tambem oferece muito menos...

Um abraco

Helena Oliveira disse...

O amor não se procura; quando menos se espera, ele aparece. Não digas que vais desistir dele, virar as costas porque ele não fará o mesmo. Talvez a pessoa que tenhas encontrado não seja a pessoa certa (quantas vezes nos apaixonamos pela "pessoa errada"?), mas isso não é razão para bateres com a porta e dizer "não quero mais"...

Outra coisa, "cabrões" há muitos e esses normalmente são aqueles de quem fugimos...não tentes ser um, não tentes ser igual a quem te magoou. Tenta apenas retirar uma lição de tudo quando viveste porque o amor existe e mais cedo ou mais tarde vai-te encontrar ;)

Mel*

Carla disse...

As coisas acontecem porque têm de acontecer, derrotam-nos por momentos mas acabam por nos tornar mais fortes!!!

adoro a tua nova "casa"

blogs maravilha. baci***

Pedro Espírito Santo disse...

Acima de tudo, respeita-te a ti próprio. Se pensas que essa mudança de atitude não te fará sentir mal contigo mesmo, muito bem. Mas não me parece bem que desistas de uma coisa que acreditas.

Força aí!

Manel disse...

Meu caro, estás a precisar de ir ao fundo e voltar com alto astral! Eu quando é assim, fecho me em casa a ver a bridget jones e a comer pipocas e sinto me logo melhor!

Agora, deixar de aceitar o amor por causa de um namorado que se teve?? isso nunca.

A minha filosofia é sempre "nada de curtes e coisas rápidas, apostar em coisas sérias". Ganhas muito melhores momentos.

Acredita

abrc

Manel disse...

Pa esquece o que disse ontem. Entre ontem e hoje passei uma situaçao q me leva a crer que os homens sao todos iguais. Não ha meio de chegar o principe.

Valha-me a bridget!

abrc

Adão disse...

É fácil exigir aos outros, aquilo que não exigimos de nós próprios.
É fácil criticar nos outros, aquilo que nós próprios, também somos.
É fácil querer ter dos outros, aquilo que não queremos dar de nós próprios.
É fácil desejar a atenção dos outros, quando nós próprios, não a damos.
É fácil pretender ser especial, quando nós próprios, não o fazemos com os outros.
É fácil. Muito fácil. Demasiado fácil.
Mas as coisas só compensam, quando apresentam um certo grau de dificuldade.

Allerdings disse...

Força Força!

Carolina Caldeira disse...

Discordo. Não te sintas mal por te entregares a ninguém... não foste tu quem errou nem deitou tudo a perder. E não fujas dos sentimentos, eles são o melhor da vida, aproveita cada um que te aparecer... o amor, a amizade, a vontade de dar sem esperar nada em troca, a desilusão, a raiva, a indiferença... todos eles nos fazem crescer. E cada vez que estiveres a beira do desespero pensa que tu és tu, sortudo quem consegue ter-te por perto porque és genuíno, e essa é uma qualidade rara nestes tempos!
O resto é paisagem...
Adorei o texto*

Kiss

João de Matos disse...

fizeste-me verter uma lagrimita